Pedra Ferro

Maio/17.

Um corte de 2004 ainda jovem, 2024 é logo ali, feito para durar. A Cave de Pedra Winery fundada em 1997 em Bento Gonçalves no Vale dos Vinhedos foi construída por inteira em mineral de basalto uma das rochas mais abundantes sobre a superfície terrestre e, no Brasil, é abundante na região sul do país. É uma rocha de granulação fina, geralmente de cor acinzentada escura e pertence ao grupo das rochas ígneas, ou seja, é diretamente derivada da consolidação e esfriamento do magma vulcânico derretido. Na mineração, passa pelo processo de extração (lavra), seguido pelo beneficiamento e depois, para seus destinos finais, sendo muito utilizado na construção civil devido a sua rigidez e resistência. Considerada a primeira vinícola boutique do país, diversifica sua utilização na produção de vinhos e eventos – principalmente casamentos, devido a beleza da construção medieval que dá identidade ao castelo as margens da bucólica estrada da Linha Leopoldina que cruza o Vale dos Vinhedos. Pequena produção, aproximadamente 45.000 garrafas/ano, portfólio completo de vinhos tranquilos, espumantes e fortificados.

cave3

CAVE DE PEDRA GRAN RESERVA 2004. Vale dos Vinhedos/RS. Corte impreciso de Ancelota (grafia incomum) e Tannat com 12 meses de estagio em carvalho e mais dois anos em repouso na cave de pedra ferro. Edição Comemorativa ao aniversário de 10 anos de fundação da vinícola – 1997 a 2007. Garrafa de nº 1.235 em lote único.

cave4

Rolha em excelente estado de conservação. Na taça apresenta cor vermelho granada escuro (forte pigmentação da Ancellotta), impenetrável, sem o brilho jovem com um opaco da maturidade, textura fluída com formação de arcos espaçados com pernas longas e preguiçosas. Aromas de cassis, lavanda, leve chocolate mentolado, figo cristalizado, notavelmente fragrante. A safra 2004 foi bastante irregular na Serra Gaúcha porém com destaque para as varietais de colheita tardia, neste caso a Tannat. No palato os taninos estão domados e ainda atuantes prevalecendo o perfil seco, intermitente entre o adocicado e azedo, notas de licor de cassis, alcaçuz, húmus, infusão de alfazema, toque final de verniz. Álcool integrado (14º). Acidez presente sugerindo longa vida pela frente, está no apogeu duradouro (2024 é possível), um vinho de perfil autoral, autêntico e raçudo. Notável persistência. Fora de catálogo, um vinho “selvagem” e adestrado que merece estar em destaque no acervo nacional de exemplares que refletem o fino trabalho de extração do terroir da Serra Gaúcha. Comprado em negociação de acervo particular em 2014, custou R$160. Este vinho praticamente não repercute nos conteúdos publicados por enófilos, um mistério. Não obtive a informação do preço comercializado no lançamento. Cresce quando harmonizado com ensopados de carne com cozimento longo e especiaria provençal.


AVALIAÇÃO:

5 saca rolha

PREMISSAS:

P3|R4|E5

VALORIZAÇÃO:

vasilhames2

Conheça nosso Sistema de Avaliação .